Os anúncios aqui postados são de inteira responsabilidade do Google

29 de out de 2007

Contribuição do Espiritismo a Sociedade

No último dia da 12a Semana Espírita de Itapetinga, a Juventude Espírita mais uma vez nos presenteou com uma bela apresentação.

O Palestrante Nahon Castro mostrou a contribuição do Espíritismo nas diversas áreas do desenvolvimento humano.

Encerramos a 12a Semana Espírita de Itapetinga com muita alegria e a certeza de que muito aprendemos, para que continuemos nessa caminhada da vida, buscando sermos seres melhores, tendo Jesus como mestre.

O Espiritismo e as Artes

No sábado, dia 20 de outubro, a apresentação artística mostrou como a arte é importante na expressão e desenvolvimento dos potenciais humanos. O departamento da Infância e Juventude encenou com as crianças da Evangelização Infantil a peça " A Flor da Honestidade", emocionando a todos presentes.

Jacob Melo foi o palestrante da noite, mostrando de forma muito interessante tema tão pouco abordado nas comunidades espíritas. As diversas formas de arte, música, dança, pintura, literatura, escultura, no decorrer da história não apenas influenciou, como retratou a evolução da humanidade.

26 de out de 2007

A Filosofia e a Filosofia Espírita

Uma belíssima encenação de um techo de "O Pequeno Príncipe", de Antoine Saint-Exupèry, tendo no final a música "Cativar", abriu a noite de sexta-feira, mostrando o trabalho da Juventude Espírita do C.E.S.S.
Nosso querido Lindomar Coutinho foi o palestrante da noite, falando sobre a Filosofia e a Filosofia Espírita.Encerrando a noite, uma singela homenagem a Lindomar e Dr. Hans, na voz de Fiqueiredo.


21 de out de 2007

Espiritismo é religião?


Na Quinta-feira, terceiro dia da 12a Semana Espírita de Itapetinga, Jacob Melo, dirigiu excelente palestra. Totalmente embasado na codificação, levou-nos a reflexão sobre a pergunta tema do dia.
Religião é o que RE-liga o homem a Deus, de forma consciente, já que Deus e homem não se desligam, de fato. A Doutrina Espírita religa o homem a Deus, nos impulsiona ao progresso intelectual e moral. O que fazemos, se nos esforçamos para essa transformação interna, depende de nós.
Jacob Melo, demonstra que seriedade pode vir acompanhada de muito bom humor e encerra a noite nos presenteando com agradável música, convidando a todos para cantar.

O Coral do C.E.S.S. já estava a postos, pois repetiu a cantoria da abertura da 12a Semana Espírita de Itapetinga, sendo a atração artística da noite.

18 de out de 2007

12a Semana Espírita de Itapetinga

No segundo dia da 12a Semana Espírita da Itapetinga, tivemos a presença do Expositor Arilson Ferraz, versando sobre "Mediunidade Segundo o Espiritismo" .

Na atração artística da noite, foi apresentado o jogral " Ante ao Sesquicentenário", pelos alunos do Ciclo III, da Evangelização Infantil.

Na composição da mesa, Alessandra Salles ; Rita Manuelle Salles, Departamento da Infância e Juventude, do C.E.S.S.; o Expositor da noite, Arilson Ferraz da União Espírita de Vitória da Conquista; Luzia Coelho, Departamento de Assistência a Gestantes do C.E.S.S. e Claudia Pinheiro, vice-presidente do Centro Espírita Jovelino Conceição - Itororó - BA




17 de out de 2007

A abertura da 12ª Semana Espírita de Itapetinga foi em clima de grande alegria, nesse ano de comemoração dos 150 anos do Livro dos Espíritos.

Os participantes do coral do Centro Espírita Servos do Senhor apresentaram-se pela primeira vez em público, cantando 3 músicas, incluindo “Perfume”, Psicografada pela nossa irmã Dalvinha, trabalhadora do C.E.S.S.

Presentes no evento, espíritas e simpatizantes da Doutina Espírita de Itapetinga, Itororó, Potiraguá e toda a região.

Compondo a mesa: Fernando Azevedo, presidente do Centro Espírita Irmão Olimpio - Potíraguá-BA; Mita Cardoso, Coordenador Geral do Centro Espírita Servos do Senhor - Itapetinga - BA; Abigail Guimarães, expositora da noite - União Espírita de Vitória da Conquista - BA; Almerinda Soares ( Mera), C.E.S.S. ; Alba Cordeilho, presidente do Centro Espírita Jovelino Conceição - Itororó - BA

Abigail Guimarães deu início aos trabalhos da 12ª Semana Espírita de Itapetinga, proferindo belíssima palestra sobre “Espiritismo e Ciência”, ressaltando a importância do estudo das obras de Alan Kardec.


15 de out de 2007

Seminário " Aconteceu na Casa Espírita"

Tivemos domingo, 14 de outubro de 2007 a realização do Seminário "Aconteceu na Casa Espírita", ministrado pelo irmão Euzébio Silver, coordenador do ESDE da Federação Espírita da Bahia.

O evento contou com a participação de vários trabalhadores e alguns freqüentadores da casa.

O Seminário foi dividido em quatro módulos:

  1. Em torno do livro com mesmo título do seminário;
  2. Auto-Educação na atividade Espírita;
  3. Dinâmica da Colaboração;
  4. Reflexões

No primeiro módulo, o facilitador lembrou aos trabalhadores a importância do "Olhai, Orai e Vigiai", dito por Jesus, devendo os mesmos manter uma atenção permanente em suas tarefas e no seu dia-a-dia. Trouxe-nos várias reflexões, destacando-se a importância de um bom relacionamento interpessoal em nossa casa. Fez um breve resumo dos principais capítulos do Livro, psicografado por Emanuel Cristiano, ditado pelo Espírito Nora. O livro relata um plano das trevas para acabar com uma Casa Espírita, encontrando "brechas" em vários trabalhadores invigilantes daquela Instituição, quais sejam: Ciúme, Irritações, Fofocas, Melindres, Disputas de cargos, dentre outras. Apesar das orientações conferidas pelo Mentor Espiritual, alguns trabalhadores continuavam agindo equivocadamente, causando um grande abalo nas estruturas daquela Instituição, o que resultou em evasão de vários trabalhadores do bem e instalação de vários processos de perturbação espiritual.

Mas como o Bem sempre suplanta o Mal, acompanhamos a vitória da Luz sobre as trevas, apreendendo com o Mentor daquela narrativa que "Num mundo de Provas e Expiações, o bem deverá sempre dar exemplo àqueles que ainda se demoram na ignorância. Por isso, no trabalho espírita, vigilância e caridade são as trancas para evitar a invasão das trevas".

No segundo módulo, Euzébio nos trouxe muita reflexão acerca da Educação e auto-educação na atividade Espírita, através de questionamentos, mensagens de conceituadas personalidades, tais como: Divaldo Franco, Emmanuel, Santo Agostinho, Kardec. Lembrou como deve ser um dirigente da Casa Espírita, citando Jesus como modelo. Discorreu sobre várias passagens do Evangelho, provocando reflexões edificantes.

No terceiro módulo o facilitador abordou sobre a importância da interação dos indivíduos no trabalho em equipe, da sua colaboração, integração e do trabalho coletivo, onde as diferenças devem ser devidamente respeitadas em prol do trabalho harmonioso, o que trás resultados mais ricos. Fez-nos refletir o que é mais fácil fazermos. Trouxe-nos conceitos e exemplos de liderança, poder, autoridade.

E por fim, apresentou-nos diversas reflexões de vida, que nos fez repensar a respeito de muitas coisas que com certeza nos fizeram pessoas diferentes daquelas que ali chegaram. Encontros dessa natureza são muito importantes, principalmente para despertar pessoas de bem que muitas vezes se deixam "adormecer" na prática do trabalho edificante. Parabéns Euzébio, parabéns Centro Espírita Servos do Senhor. Obrigado Jesus!

O estudo das obras de Allan Kardec é fundamental

ALLAN KARDEC, O CODIFICADOR DO ESPIRITISMO

Hippolyte Léon Denizard Rivail nasceu em Lyon, França, em 3 de outubro de 1804. Estudou em Yverdun (Suíça) com o célebre Johann Heinrich Pestalozzi, de quem se tornou um eminente discípulo e colaborador. Aplicou-se à propaganda do sistema de educação que exerceu tão grande influência sobre a reforma dos estudos na França e na Alemanha. Lingüista insigne, falava alemão, inglês, italiano, espanhol e holandês. Traduziu para o alemão excertos de autores clássicos franceses, especialmente os escritos de Fénelon (François de Salignac de la Mothe).

Rivail, o educador

Fundou em Paris – com sua esposa Amélie Gabrielle Boudet – um estabelecimento semelhante ao de Yverdun. Escreveu gramáticas, aritméticas, estudos pedagógicos superiores; traduziu obras inglesas e alemãs. Organizou, em sua casa, cursos gratuitos de química, física, astronomia e anatomia comparada.

Membro de várias sociedades sábias, notadamente da Academia Real de Arras, foi premiado, por concurso, em 1831, com a monografia Qual o sistema de estudo mais em harmonia com as necessidades da época? Dentre as suas obras, destacam-se: Plano apresentado para o melhoramento da instrução pública (1828); Curso prático e teórico de aritmética (1829, segundo o método de Pestalozzi); e Gramática francesa clássica (1831).

Kardec, o codificador

Foi em 1854 que o Prof. Rivail ouviu falar das mesas girantes, fenômeno mediúnico que agitava a Europa. Em Paris, ele fez os seus primeiros estudos do Espiritismo. Aplicou à nova ciência o método da experimentação: nunca formulou teorias pré-concebidas, observava atentamente, comparava, deduzia as conseqüências; procurava sempre a razão e a lógica dos fatos. Interrogou os Espíritos, anotou e ordenou os dados que obteve. Por isso é chamado Codificador do Espiritismo. Os autores da Doutrina são os Espíritos Superiores. A princípio, Rivail objetivava apenas sua própria instrução. Mais tarde, quando viu que tudo aquilo formava um conjunto e tomava as proporções de uma doutrina, decidiu publicar um livro, para instrução de todos. Assim, lançou O Livro dos Espíritos em 18 de abril de 1857, em Paris. Adotou o pseudônimo Allan Kardec a fim de diferenciar a obra espírita da produção pedagógica anteriormente publicada.
Em janeiro de 1858, Kardec lançou a Revue Spirite (Revista Espírita) e fundou a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas. Em seguida, publicou O que é o Espiritismo (1859), O Livro dos Médiuns (1861), O Evangelho segundo o Espiritismo (1864), O Céu e o Inferno (1865) e A Gênese (1868). Kardec faleceu em Paris, em 31 de março de 1869, aos 64 anos, em razão da ruptura de um aneurisma. Seu corpo está enterrado no cemitério Père Lachaise, na capital francesa. Seus amigos reuniram textos inéditos e anotações de Kardec no livro Obras Póstumas, que foi lançado em 1890.

Portal da FEB.

1 de out de 2007

Doutrina Espírita ou Espiritismo

O que é

· É o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese.

· “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.” Allan Kardec (O que é o Espiritismo – Preâmbulo)

· “O Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança.” Allan Kardec (O Evangelho segundo o Espiritismo – cap. VI – 4)

O que revela

· Revela conceitos novos e mais aprofundados a respeito de Deus, do Universo, dos Homens, dos Espíritos e das Leis que regem a vida.

· Revela, ainda, o que somos, de onde viemos, para onde vamos, qual o objetivo da nossa existência e qual a razão da dor e do sofrimento.

Sua abrangência

· Trazendo conceitos novos sobre o homem e tudo o que o cerca, o Espiritismo toca em todas as áreas do conhecimento, das atividades e do comportamento humanos, abrindo uma nova era para a regeneração da Humanidade.

· Pode e deve ser estudado, analisado e praticado em todos os aspectos fundamentais da vida, tais como: científico, filosófico, religioso, ético, moral, educacional, social.

Seus ensinos fundamentais

· Deus é a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas. é eterno, imutável, imaterial, único, onipotente, soberanamente justo e bom.

· O Universo é criação de Deus. Abrange todos os seres racionais e irracionais, animados e inanimados, materiais e imateriais.

· Além do mundo corporal, habitação dos Espíritos encarnados, que são os homens, existe o mundo espiritual, habitação dos Espíritos desencarnados.

· No Universo há outros mundos habitados, com seres de diferentes graus de evolução: iguais, mais evoluídos e menos evoluídos que os homens.

· Todas as leis da Natureza são leis divinas, pois que Deus é o seu autor. Abrangem tanto as leis físicas como as leis morais.

· O homem é um Espírito encarnado em um corpo material. O perispírito é o corpo semimaterial que une o Espírito ao corpo material.

· Os Espíritos são os seres inteligentes da criação. Constituem o mundo dos Espíritos, que preexiste e sobrevive a tudo.

· Os Espíritos são criados simples e ignorantes. Evoluem, intelectual e moralmente, passando de uma ordem inferior para outra mais elevada, até a perfeição, onde gozam de inalterável felicidade.

· Os Espíritos preservam sua individualidade, antes, durante e depois de cada encarnação.

· Os Espíritos reencarnam tantas vezes quantas forem necessárias ao seu próprio aprimoramento.

· Os Espíritos evoluem sempre. Em suas múltiplas existências corpóreas podem estacionar, mas nunca regridem. A rapidez do seu progresso intelectual e moral depende dos esforços que façam para chegar à perfeição.

· Os Espíritos pertencem a diferentes ordens, conforme o grau de perfeição que tenham alcançado: Espíritos Puros, que atingiram a perfeição máxima; Bons Espíritos, nos quais o desejo do bem é o que predomina; Espíritos Imperfeitos, caracterizados pela ignorância, pelo desejo do mal e pelas paixões inferiores.

· As relações dos Espíritos com os homens são constantes e sempre existiram. Os bons Espíritos nos atraem para o bem, sustentam-nos nas provas da vida e nos ajudam a suportá-las com coragem e resignação. Os imperfeitos nos induzem ao erro.

· Jesus é o guia e modelo para toda a Humanidade. E a Doutrina que ensinou e exemplificou é a expressão mais pura da Lei de Deus.

· A moral do Cristo, contida no Evangelho, é o roteiro para a evolução segura de todos os homens, e a sua prática é a solução para todos os problemas humanos e o objetivo a ser atingido pela Humanidade.

· O homem tem o livre-arbítrio para agir, mas responde pelas conseqüências de suas ações.

· A vida futura reserva aos homens penas e gozos compatíveis com o procedimento de respeito ou não à Lei de Deus.

· A prece é um ato de adoração a Deus. Está na lei natural e é o resultado de um sentimento inato no homem, assim como é inata a idéia da existência do Criador.

· A prece torna melhor o homem. Aquele que ora com fervor e confiança se faz mais forte contra as tentações do mal e Deus lhe envia bons Espíritos para assisti-lo. é este um socorro que jamais se lhe recusa, quando pedido com sinceridade.

Prática espírita

· Toda a prática espírita é gratuita, como orienta o princípio moral do Evangelho: “Dai de graça o que de graça recebestes”.

· A prática espírita é realizada com simplicidade, sem nenhum culto exterior, dentro do princípio cristão de que Deus deve ser adorado em espírito e verdade.

· O Espiritismo não tem sacerdotes e não adota e nem usa em suas reuniões e em suas práticas: altares, imagens, andores, velas, procissões, sacramentos, concessões de indulgência, paramentos, bebidas alcoólicas ou alucinógenas, incenso, fumo, talismãs, amuletos, horóscopos, cartomancia, pirâmides, cristais ou quaisquer outros objetos, rituais ou formas de culto exterior.

· O Espiritismo não impõe os seus princípios. Convida os interessados em conhecê-lo a submeterem os seus ensinos ao crivo da razão, antes de aceitá-los.

· A mediunidade, que permite a comunicação dos Espíritos com os homens, é uma faculdade que muitas pessoas trazem consigo ao nascer, independentemente da religião ou da diretriz doutrinária de vida que adotem.

· Prática mediúnica espírita só é aquela que é exercida com base nos princípios da Doutrina Espírita e dentro da moral cristã.

· O Espiritismo respeita todas as religiões e doutrinas, valoriza todos os esforços para a prática do bem e trabalha pela confraternização e pela paz entre todos os povos e entre todos os homens, independentemente de sua raça, cor, nacionalidade, crença, nível cultural ou social. Reconhece, ainda, que “o verdadeiro homem de bem é o que cumpre a lei de justiça, de amor e de caridade, na sua maior pureza”.

(Texto extraído do portal www.febnet.org.br, da Federação Espírita Brasileira)